Eu era mesmo um capeta

Estava me lembrando de algumas sacanagem do tempo do colegial e cheguei a conclusão de que eu era o verdadeiro capeta. Num dia normal de aula e eu como sempre, pensando em casa o que aprontar na escola, quando derrepente me surgiu um maligno plano, eis que vesto uma jaqueta, botei uma gorro, luvas e fui pra escola. No caminho havia uma serraria, passei lá e peguei uma sacola cheia de pó de serra, e fui pra escola. Chegando na escola, (primeiro que todos claro), subi numa mesa e botei o pó de serra no ventilador… (sim eu era mesmo um fdp)
A aula começou, e eu era o único que estava usando jaqueta luvas e um gorro num dia ensolarado que faziam 38 graus, quando estavam todos concentrados na aula, eis que falo a seguinte pérola. “fessora, liga o ventilador, tá calor”. Eu podia ver a enorme fumaça de pó de serra que caia na cabeça das meninas, todos gritando e correndo pra fora da sala, e apenas eu rindo da situação sentado numa boa. Claro que depois que tudo acabou e por minha fama de “capeta” todos já sabiam que teria sido eu o responsável, tanto que a professora logo veio até mim, pegou na minha orelha sem nem me perguntar se havia sido eu o responsável de tal ato diabólico, e me levou pra diretoria. O resultado foi uma suspensão de três dias, a qual eu mentia pra minha mãe e saia pra escola dizendo que iria estudar e acabava no vídeo game do pai de um amigo meu.
Eu era tão capeta que nem material escolar levava pra casa e nem pra escola, eu os guardava no forro da sala, isso mesmo, eu falava “fessora deixa eu ir no banheiro?” e colocava meu material no forro da sala, saltava o muro da escola e ia direto pro vídeo game. Naquela época que eu zerei Castlevania, foi meu melhor ano.

Já pensou se ela der unfollow nele?

Pode isso? Um marido agrediu a esposa por ela não apertar “curtir” em um post que ele fez no Facebook. A história aconteceu no Novo México, EUA. Benito Apolinar, de 36 anos, publicou uma mensagem sobre o aniversário de morte de sua mãe. Ele havia se separado recentemente da esposa, Dolores Apolinar, com quem viveu por 15 anos. Ao encontrá-la, deu socos e puxões de cabelo após ela pedir para ele, que estava bêbado, ir embora. “É incrível que todo mundo ‘curtiu’ meu status menos você, que é minha esposa. Você deveria ser a primeira”, disse na hora. Benito foi preso e assumiu a agressão.

Matéria completa: http://news.msn.co.nz/article/8357779/man-attacked-wife-for-not-liking-facebook-status